Plantas detectam som para sobreviver

sexta-feira, maio 26, 2017

Muitas pessoas acreditam que tocar música para plantas faz com que elas cresçam melhor. Porém entre e os cientistas há controvérsias... Mas, isso está prestes a mudar em virtude de uma nova pesquisa que pode confirmar: "sim, as planta reagem aos sons".


A pesquisa que está dando o que falar, foi realizada pela bióloga evolucionária Monica Gagliano, da Universidade da Austrália Ocidental, com sua recente descoberta que prova que as plantas utilizam os sons da Natureza, desde o zumbido de um inseto ao som de líquido que correm em túneis subterrâneos dentre outros caminhos, para encontrar água e sobreviver.

Conforme relatado no Scientific American, em seu estudo, Monica Gagliano, utilizou um vaso com dois braços em formato de V (de ponta-cabeça), no qual, em um braço do vaso, colocou mudas de ervilha sobre substrato (solo) desidratado, enquanto o outro braço do vaso foi apoiado sobre uma bandeja onde um tubo espiralado continha água em movimento. O resultado mostrou que, as raízes da planta se moveram na direção do tubo que emitia o ruído da água, mesmo sem ter acesso a ela, as raízes seguiram o som.


Segundo Monica Gagliano, as plantas "só sabiam que a água estava ali", pois conseguiam detectar o som dentro do tubo. Quando foi dado à elas a escolha entre o tubo próximo ao som da água, e um outro tubo com solo umedecido, as plantas permaneceram no solo, pois o mesmo continha a tão necessária água.

A experiência foi acompanhada por um cientista com a confirmação que as plantas usaram as ondas sonoras para detectar a água de longe, pois seguem os gradientes de umidade para mover-se na direção de alvos (água) que estejam dentro do seu alcance.

A descoberta de Monica Gagliano, foi publicada na edição de maio de 2017 da Oecologia, uma revista internacional revisada por pares. No artigo intitulado: "Raízes de plantas usam som para localizar água" no qual a bióloga escreve:

"Porque a água é essencial à vida, os organismos têm evoluído uma ampla gama de estratégias para lidar com limitações de água, incluindo ativamente a procura de seus níveis de umidade preferenciais para evitar a desidratação. As plantas usam gradientes de umidade para direcionar suas raízes através do solo, uma vez que uma fonte de água é detectada. Mas, a forma como elas detectam a origem da água pela primeira vez, ainda é desconhecida." Descobrimos que as raízes foram capazes de localizar uma fonte de água, através da detecção das vibrações sonoras geradas pela água movendo-se dentro de tubos, devido a ausência de umidade no substrato" (no qual elas se encontravam).


Considerando que, já foi confirmado pela ciência que, os fenômenos de "polinização por zumbido", com certa frequência estimula a liberação do pólen em plantas, não parece muito estranho propor que as plantas dependem de vibrações sonoras para encontrar água e prosperar.


Veja no vídeo como se deu a experiência de Monica Gagliano




"Inteligência é a habilidade das espécies para viver em harmonia com o meio ambiente." (Paulo Watson)

Abraços,
Sejamos Felizes!


Fontes: Scientific American, inhabitat


Lembrou de alguém que gostaria do post? Espalhe essa ideia! Compartilhe!

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)