Esculturas naturais de Debra Bernier evocam a essência feminina universal

quarta-feira, maio 10, 2017

A arte  com todas suas formas nos toca de diferentes maneiras. Quando vejo as esculturas da artista canadense Debra Bernier, penso na  Natureza como uma mãe geradora de vida e inspiração.


A contemplação da Natureza em todos os seus detalhes nos conecta com o potencial feminino impregnado em todas as formas de vida existentes. A fecundidade geradora das muitas formas de procriação existente remete a essência maternal essencialmente feminina.

A fertilidade palavra oriunda do latim fertilitate ou fecundidade é o termo empregado para designar a capacidade de se produzir algo, geralmente vida.

A vida pulsante na Natureza faz dela a "Mãe Terra", tema que aparece em muitas mitologias, nas quais, vista como uma deusa da fertilidade, ela personifica e incorpora a terra fértil como patrona da maternidade.

A essência feminina presente nas esculturas de Debra Bernier, são delicadas expressões do sentido materno universal.

Debra Bernier cria esculturas que remetem a personagens misticos em meio a Natureza circundante. Seu trabalho é desenvolvido em pedaços de madeira que são descartados naturalmente no meio natural. Cada peça de madeira selecionada é minuciosamente estudada por Debra até chegar a definição do que será esculpido nela.

"Quando trabalho com a madeira solta na natureza, nunca inicio como se ela fosse uma tela em branco. Cada pedaço de madeira já é uma escultura criada pelas carícias das ondas dos ventos."

O trabalho de Debra não se limita somente a madeira, à ele a artista incorpora diversos elementos como argila, pedras, conchas e outros objetos que se fundem na escultura agregando um valor diferencial ao seu trabalho.

"A madeira conta uma história e eu tento pensar em sua jornada enquanto a mantenho em minhas mãos." Estendo ou encurto as curvas e contornos que já existem em formas familiares de animais ou rostos humanos."


Em suas esculturas vislumbramos uma fusão harmoniosa do humano com o meio natural, cuja evocação mais frequente são temas ligados ao feminino, como a fertilidade e maternidade.

A incorporação de conchas, um símbolo de fertilidade em muitas culturas é um dos elemento que mais contribui para a associação com a força do espírito feminino em suas esculturas.

O feminino em reinterpretações modernas de figuras como a Vênus de pedra - pré histórica - são como talismãs que evocam a contemplação que Debra habilmente captura nas fotografias de cada peça, que são belamente enquadradas.

"As peças são um reflexo não só da minha vida, da minha família e das crianças, mas de uma conexão eterna e sagrada que todos compartilhamos com a Natureza."

Veja mais esculturas de Debra Bernier que selecionei para sua apreciação...











"Das profundezas das estrelas às flores luminosas da Natureza, o mistério da trindade do feminino divino é ilimitado. No fundo da vastidão do universo é onde você vai encontrá-la. Permeando e amando a tudo, a beleza dela vive dentro da sua alma. Abra sua vida para seu beijo de paz infinita." (Isha Lener)

Dedico esse post à todas mulheres mães que, com seu amor incondicional, fazem deste mundo um lugar melhor...

Abraços!
Sejamos Felizes!

Veja mais obras da artista Debra Bernier - AQUI

Lembrou de alguém que gostaria do post? Espalhe essa ideia! Compartilhe!

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)