Vida longa às Violetas africanas com três dicas simples

quinta-feira, novembro 03, 2016

A popularidade das Violetas africanas é atestada pela maioria das pessoas que já compraram, ganharam ou presentearam com estas flores graciosas.


Facilmente encontradas durante o ano todo em floriculturas, gardens e supermercados, as violetas africanas atraem, não só pela beleza delicada, mas também pelo custo acessível que nos convida a levá-las para casa onde certamente alegrarão qualquer cantinho. Sua origem como o próprio nome já diz é africana, encontrada nas florestas tropicais da Tanzânia e também no Quênia. Foi descoberta por lá, nas montanhas do nordeste da Tanzânia, em 1892 pelo pesquisador e barão alemão Walter Von Saint Paul de quem recebeu o nome científico Saintpaulia ionantha.

Seu caule e folhas de cor verde intenso são ovais, carnudas e aveludadas com pecíolos longos. As flores com cinco pétalas variam entre 2 e 3 centímetros de diâmetro em torno de estames amarelos que emergem do centro da planta agrupadas em diversas hastes finas (pendúculos) e se apresentam nas cores, roxo, violeta, azul claro e escuro, rosa, branco e bicolores entre as mesmas cores.

Atualmente existem cerca de trezentos tipos cultivados e mais de duas mil variedades desta flor, decorrentes dos diversos processos de hibridação que tem gerado diversas variações de formas e cores.


Saintpaulia é um gênero de Streptocarpus que recebeu o nome popular de violeta devido a semelhança com a viola da família das violáceas que é a verdadeira violeta.

As principais características que diferem a Saintpaulia - violeta africana - das violas, é que a violeta africana é cultivada principalmente como planta de interior, possui raízes rasas e necessitam de muita iluminação, porém não toleram a luz solar direta. Já as violas odoratas (as verdadeira violetas), possuem raízes profundas, e crescem a céu aberto a pleno sol.

Modéstia, simplicidade e delicadeza são atributos simbólicos dados às violetas africanas pelas pessoas que tem por elas um carinho especial que vai além da aquisição para uso próprio e para presentear, passando pela propagação até o colecionamento destas flores.


O amor é como pétalas caídas de violetas pisadas por violentas borboletas.

Versus

Simbolicamente a violeta africana também é associada aos amores platônicos em virtude de seu pequeno porte e sua aparência timidamente frágil e delicada.

Apesar da delicadeza as violetas africanas são rústicas e seu ciclo de vida é perene, ou seja, pode viver por muitos anos, desde é claro, que receba os cuidados necessários à sua saúde e manutenção. Mas não se assuste, a manutenção é muito fácil, com apenas três dicas simples, você poderá dar vida longa para suas violetas, desfrutando por muito tempo da sua delicadeza e graciosidade.

Vida longa às violetas africanas com três dicas simples:


  • 1 - Muita luminosidade - Porque sem luminosidade a violeta africana não dá flor. Por isso você já deve ter ouvido que janelas são os locais ideais para elas. Mas, atenção, não é qualquer janela, pois o sol direto queima suas folhas e flores. As janelas ideais  são as voltadas para o leste ou oeste, nas quais as violetas africanas receberão a luz solar ao amanhecer ou ao entardecer. Em janelas que tenham condições diferentes, deve-se ter o cuidado para que as violetas recebam a luz solar apenas por duas horas logo pela manhã ou no final da tarde sendo deslocadas para outro local, bem iluminado e arejado, entre estes períodos. 
  • 2 - Cuidado nas regas - Na hora de regar, todo o cuidado dispensado com as delicadas violetas africanas será recompensado com o aumento do seu ciclo de vida que será enfeitado com muitas flores. Assim como as orquídeas, as violetas africanas gostam mais da umidade do ar do que da umidade do solo. Atente para esta característica e tome muito cuidado com as regas das suas violetas, pois a planta sofre com folhas e flores molhadas e com o solo encharcado. Regue somente o solo com cuidado para não molhar suas flores e folhas que quando molhadas ficam meladas e propícias a proliferação de fungos e apodrecimentos que comprometem a saúde da planta. Uma forma segura para fornecer a água necessária para suas violetas sem correr o risco de encharcar o solo é colocar água em um recipiente onde caiba o vaso das violetas, para que o mesmo seja colocado neste recipiente (em torno de 15 minutos) para que a planta absorva pelas raízes, a água necessária para sua hidratação, através dos drenos (furinhos na base do vaso).
  • 3 -Replantio - Embora as violetas africanas sejam comercializadas em vasinhos de plástico, o ideal é replantá-las em vasos de barro que tem a vantagem de absorver o excesso de água tão prejudicial às raízes da planta. O replantio também é importante com relação a adição de um substrato mais rico em nutrientes que contribuam para o desenvolvimento saudável da planta, pois normalmente o substrato utilizado para sua comercialização (nos vasinhos de plástico), são muito leves e isentos de matéria orgânica e nutrientes para que não retenham água afim de prolongar sua durabilidade nos pontos de venda. Mas, não é preciso fazer o replantio de imediato. Espere pelo fim da floração para replantar suas violetas africanas em vasos mais adequados com substratos que fortaleçam e prolonguem a duração das suas plantas.

Para o replantio escolha preferencialmente um vaso de barro. Coloque no fundo uns 2 cms de brita nº0, cubra com um pedaço de manta bidin, Preencha o vaso até a metade com a seguinte mistura: uma parte de terra comum + uma parte de terra vegetal + uma parte de vermiculita, misturadas com cascas de pinus, turfa vegetal e pó de coco seco. Coloque o torrão da planta no centro e termine o preenchimento do vaso com o restante da mistura.

Dica de adubação

Faça uma mistura com 3 colheres (de sopa) rasas de farinha de osso + 1 colher (de sopa) rasa de torta de mamona ou algodão + 8 colheres (de sopa) rasas de húmus de minhoca. Misture tudo e guarde em um pote bem fechado que deve ser mantido em local seco. Coloque uma colher (de chà) desta mistura no substrato do seu vasinho de violeta africana regando em seguida para que ele penetre na terra. Repita a aplicação do adubo uma vez por mês. Esta receita foi passada pela professora Creunícia Marques do curso de jardinagem  Manequinho Lopes.


Veja as inspirações com violetas africanas que selecionei para você















Abraços,
Sejamos Felizes!

Imagens: minhas seleções pinterest

Lembrou de alguém que gostaria do post? Espalhe essa ideia! Compartilhe!

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)