No Tempo da Delicadeza

sexta-feira, maio 20, 2016

Follow my blog with Bloglovin


Delicadeza não se ensina, é diferente do respeito. Delicadeza é temperamento, não se obtém com a idade, não é uma promoção da sensibilidade, não vem com a educação ou com a imitação dos pais. Delicadeza é um defeito maravilhoso, uma entrega irreversível. É uma loucura do bem, uma paranoia sadia. Oferecer mais do que foi pedido, oferecer-se a toa. Sucumbo diante da delicadeza: a delicadeza é gentileza refinada. Não é um hábito, mas uma missão. A delicadeza é vontade de abraçar com as palavras, beijar com as palavras, assumir as palavras.

Gentileza não é para qualquer um. Não é boa ação, não é ajudar alguém atravessar a rua, mas ajudar a atravessar o rosto. Gentileza não pede recompensa, não conta pontos ao paraíso. Gentileza é ser mais do que estar. É cuidar sem precisar ser cuidado. É compreender sem necessitar perguntar...

Delicadeza é uma felicidade que não acaba nem com a tristeza. É uma gana de viver que não termina nem com a dor. Delicados são os que guardam uma letra de música para dizer um dia à sua companhia predileta, é dançar coladinho na sala com a própria voz, é lavar pratinhos dos vasos na chuva. É se importar com aquilo que tem necessidade, é criar necessidade do nada. É perder tempo pensando no outro mais do que em si mesmo, é ceder espaço para o outro mais do que a si mesmo. É um gesto natural, amar a disposição, amar o que vem pelo acaso, amar o capricho, fazer as coisas tão acabadas que o embrulho é o próprio presente.


Gentileza é uma paixão responsável. É quase uma telepatia se não fosse presença completa. A presença é sempre maior do que a telepatia. Gentileza nunca é forçada, é espontânea ou não é, não pode ser explicada, não pode ser cobrada. Ela não ocorre uma vez ao dia, ela é um estado permanente da audição, é segurar o mundo pelos ouvidos. A gentileza é a generosidade mais verdadeira, porque não depende de ninguém, não é um investimento, não traz juros para fé. Irrompe como um riso, e não tem autoria como a alegria. É de todos em você. "Fabrício Carpinejar"
Ah..., esse texto do Fabrício é uma delícia, porque é tão gentil! E gentileza no mundo atual é algo raro e quase invisível. Apesar das facilidades relacionadas à comunicação, geradas pelas tecnologias através das redes sociais, a valorização do individualismo faz com que as pessoas se fechem cada vez mais em seus próprios mundos. 

O individualismo gera egoísmo e inveja, fazendo com que as pessoas se embruteçam e se tornem mais agressivas. E assim, a gentileza vai se apagando, virando algo raro, as vezes até meio esquisito, porque quando é demonstrada sempre pega as pessoas de surpresa. Mas, surpresa boa todo mundo gosta! Ser bem tratado, com delicadeza e respeito, todo mundo gosta também! Então se tudo isso é tão bom não podemos deixar que se extinga. 


São muitas as razões para não deixarmos ela virar coisa do passado e a mais simples delas é que gentileza faz bem. É gostoso receber, e acredite, é gostoso retribuir. A gentileza aproxima verdadeiramente as pessoas, cria vínculos reais e abre muitas portas. A prática da gentileza faz com que nos socializemos mais no mundo físico real, gerando reciprocidade positiva, tanto que a ciência confirma que a prática da gentileza favorece a diminuição dos hormônios do estresse e o aumento dos hormônios relacionados ao bem estar. Assim a vida fica mais leve e a gente mais feliz.

Você já percebeu que pessoas briguentas, intolerantes e grosseiras, não são felizes? E que geralmente sofrem de males físicos com doenças como enxaqueca, gastrite, ansiedade, hipertensão, estresse, depressão, etc., só para citar algumas...

Gentileza afasta os conflitos, melhora as relações, diminuem a ansiedade e gera bem estar.


Como ser mais gentil


  • Tente se colocar no lugar do outro -  Sabe aquela história: "Trate as pessoas da mesma forma que quer ser tratado? Simples assim!
  • Escute -  Alguém já disse que quando só falamos, repetimos o que já sabemos, mas quando escutamos, podemos aprender algo com a outra pessoa. Ouvir antes de sair defendendo um ponto de vista, pode evitar muitos conflitos desnecessários.
  • Pratique a paciência - Evite julgamentos e decisões precipitadas.
  • Peça desculpas - Reconhecer um erro é saudável, evita problemas de saúde, de consciência, previne a violência e salva relacionamentos.
  • Pense positivo - Valorize sempre as coisas boas que existem na sua vida e nas outras pessoas. Não existe perfeição e em tudo há a possibilidade para melhorar. Perceber o mundo, as pessoas pela ótica positiva, pode promover verdadeiros milagres.
  • Respeite as pessoas - Mesmo quando elas pensam diferente de você. Respeito também é um valor que tem sido esquecido por muitos. Respeite para ser respeitado. Quer algo maior do que isso?
  • Seja solidário - Demonstre interesse pelo outro, por seus sentimentos e sua realidade. O mundo não gira só em torno do nosso umbigo. Todas as pessoas possuem suas dificuldades. Compreender as diferenças nos faz crescer e perceber que os conflitos não tem que ser jogos de guerra, pois numa guerra, seja ela qual for, todos perdem.
Ser gentil é presentear a si mesmo, tornando sua vida mais prazerosa. E, viver de bem consigo, já é um grande avanço para viver bem com todos.

Que tal arregaçar as mangas e sair por aí cultivando gentileza?



Abraços!
Sejamos Gentis e Felizes!

Fontes: livro: O poder da Gentileza - Rosana Braga; Imagens: minhas seleções Pinterest.

Lembrou de alguém que gostaria do post? Espalhe essa idéia! Compartilhe!

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)