Somos Natureza!!?!!

quarta-feira, julho 29, 2015

Olá Amigos,
Bem Vindos ao Jardim!

Neste post compartilho com vocês um convite à reflexão: "Somos Natureza?" de Marco Ramon junto com o trabalho do fotógrafo John Popplenton que ilustra lindamente o texto.

Somos Natureza?

Uma reflexão importante para fazermos sobre o mundo em que vivemos está na nossa relação com o meio ambiente. Na antiguidade, as sociedades humanas se viam como parte de uma natureza animada (anima = alma), repleta de divindades específicas, deuses do Sol, da Terra, etc. É bem provável que a motivação para construção e elaboração do universo mitológico destes povos, tenha sido o medo do desconhecido. Sem entender os fenômenos naturais que os cercavam, e procurando identificar um sentido nas coisas, as pessoas começaram a criar narrativas que buscavam explicar o nascer do Sol, os eclipses e as mudanças das estações.
No entanto, e como é natural no ser humano, em algum momento estas respostas deixaram de nos satisfazer. E, então passamos a desenvolver reflexões que procuravam ser cada vez mais lógicas, mais consistentes e mais adequadas para descrever fenômenos e propor intervenções no mundo. É quando surge a filosofia e, de certa forma, o início do pensamento científico.
O filósofo alemão Friedrich Nietzche (1844 - 1900) escreveu que a filosofia e, posteriormente, a ciência, não são parte de um processo de evolução do pensamento, mas exatamente o contrário. O pensamento livre se degenerou em filosofia; a filosofia se degenerou em ciência; a ciência se degenerou em técnica. E hoje estamos neste mundo instrumentalizado, repleto de avanços tecnológicos e com cada vez menos compreensão dos seres humanos sobre si mesmos e sobre sua condição natural.
Quando falamos sobre Natureza, como algo diferente do que somos já existe aí uma visão negativa e, na minha interpretação, nociva de nossa humanidade. Ao nos considerarmos superiores ao resto da Natureza, ao nos considerarmos donos dos meios de transformação do mundo, acabamos por destruir recursos que são tão necessários à manutenção de nossas próprias vidas.
É necessário hoje retomar uma reflexão antiga, aquela que mencionei no início do texto, de uma Natureza animada, viva e tão essencial para nossa existência quanto nós mesmos. Uma vida confortável e agradável não se conquista apenas com a instrumentalização e mecanização do mundo, mas sim com uma compreensão do que significa sermos seres vivos, sobre o que significa sermos parte da Natureza.
Sócrates disse que: "uma vida sem reflexão não merece ser vivida". Façamos então desta reflexão sobre o que somos e sobre como nos dispomos a destruir o que há de mais essencial e urgente em cada um de nós. Pensar sobre a Natureza e cuidar dela é cuidar do nosso destino. E existe tarefa mais importante que esta?

É fato, dependermos da terra, da água, do ar, da chuva, do sol, dentre todos os recursos da Natureza para existirmos neste mundo. Fato este que já é suficiente para respeitarmos, valorizarmos e cuidarmos muito bem da Natureza, pois esse cuidado exprime o cuidado com a vida no seu sentido mais literal...uma prioridade que deveria ser de todos nós.

Abraços,
Sejamos Felizes!

"Você pensa que em algum lugar, podemos não ser Natureza, que somos diferentes da Natureza? Não, nós estamos na Natureza e pensamos exatamente como ela." (Carl Jung)

Lembrou de alguém que gostaria desse post? Espalhe essa idéia! Compartilhe! 

Leia também!

1 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)