Plantas Carnívoras # Adoro

terça-feira, julho 28, 2015

Com suas formas exóticas, cercadas por histórias fantasiosas alimentadas pelo cinema, literatura, jogos, etc., as plantas carnívoras despertam a curiosidade de muitos. Mas, foram assim classificadas, pelo fato de se alimentarem de seres vivos como insetos (suas principais presas), aracnídios, anfíbios, répteis e até pequenas aves, e não por serem monstros assassinos que podem colocar em perigo a vida humana.

Habitam geralmente solos pobres, encharcados e ácidos com pouca disponibilidade de nitratos (essencais para a síntese da molécula de clorofila), dependendo assim do nitrogênio contido nas proteínas dos animais, e da energia proveniente da luz solar como todo vegetal.

Ocorrem predominantemente na faixa tropical do Planeta com grande biodiversidade no sudeste Asiático, Américas e Austrália.

Existem quatro famílias principais de plantas carnívoras, são elas a Nepenthaceae, a Sarraceniaceae, a Lentibulariaceae e a Droseraceae. Sobre esta última, por volta de 1875, Charles Darwin declarou: "Eu me importo mais sobre a história da Drosera do que com a origem de todas as espécies do mundo."


Não só para Darwin, esta espécie despertou a atenção e o interesse. Uma das obsessões do fotógrafo Joni Niemelã, está justamente na exploração das formas da planta carnívora Drosera, mais comumente conhecida como "Sundew", um apelido que faz referência às gotas coletadas sobre a planta semelhante ao orvalho matinal.

As Sundews pertencem ao maior genêro de plantas carnívoras, incluindo mais de 194 espécies, que fisgam, capturam e digerem insetos usando glândulas que cobrem a superfície de suas folhas. Através do recurso da fotografia macro, Niemelã consegue aumentar o zoom em cada gota de orvalho, adicionando uma sensação mística para a faminta planta.

O orvalho, conhecido também como sereno é um fenômeno físico no qual a umidade do ar forma condensação em forma de gotas pela diminuição da temperatura ou em contato com superfícies físicas, num processo contrário da evaporação. Por sua natureza singela, suave e branda, o orvalho traduz um simbolismo de sutileza e delicadeza. É como se fosse uma benção celeste dotada de graça vivificante que confere ao trabalho de Niemelã um brilho mágico e especial.
Sundews sempre me fascinaram, como espécies de plantas "aliens" que fotogrfo há vários anos. Minha primeira série de fotos "Drosera", foi especilamente vibrante e brilhante o que me instigou na busca por contrastes que resultou na segunda série fotográfica intitulada "Sundews". (Niemelã)


Veja a série de fotos de Niemelã que selecionei para sua apreciação e inspiração... 








"Creio que as cores e o humor de um "outro mundo azul" refletem adequadamente a verdadeira natureza dessas plantas carnívoras." (Niemelã)

Lindo Não?!? ... A tecnologia aliada a sensibilidade do artista na captura de momentos imersos no mundo natural, com um olhar extremamente atento aos detalhes que só podem ser vistos com precisão através da macro fotografia, promove um espetáculo no qual a magia vem da Natureza.

Veja mais fotografias Carnívoras do artista em seu Instagram. 

Acesse também AQUI Joni Niemelã para conhecer em suas galerias + fotos.

Abraços,
Sejamos Felizes!
"A verdadeira benevolência não necessita de ostentação; é semelhante ao orvalho que cai do céu." (Shakespeare)


Lembrou de alguém que gostaria desse post? Espalhe essa idéia! Compartilhe!


Fontes: Thisiscolossal; plantascarnivoras.info. 

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)