Trevos # Plantas, Simbologia e Sorte!

sexta-feira, maio 22, 2015



Dotado de simbologias associadas a sorte, abundância, prosperidade, fecundidade, sucesso, esperança e a fé, o trevo de três folhas tem uma história mística antiga vinculada a aspectos mágicos oriundos de lendas célticas, nas quais os celtas reverenciavam essa planta, por possuírem muitas crenças baseadas nas "Tríades" como por exemplo: o presente, passado e futuro. Historicamente o trevo é também muito valorizado como um símbolo da Irlanda escolhido por um dos padroeiros deste país, St. Patrick para enaltecer a força do Cristianismo através da representação da "Santíssima Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo", em suas três folhas.

Encontrado na maioria das regiões temperadas e subtropicais do planeta, o trevo que tem expressado no seu nome científico, Trifolium sp. (tri = três e folium = folha), a característica de produzir comumente, apenas três folhas, pode também, através de uma anomalia, vir a produzir mais folhas, como é o caso do trevo com 4 folhas, tido por muitos como um amuleto de sorte em virtude da sua raridade.

Por ser muito raro na antiguidade, acreditava-se que a pessoa que encontrasse um trevo de 4 folhas teria a chance de ver fadas e, consequentemente, ter muita sorte na vida. Na mitologia Celta os Druídas, filósofos e conselheiros da sociedade, acreditavam que o trevo de 4 folhas simbolizava a boa fortuna e quem o possuísse passaria a ter a sorte dos deuses e os poderes da floresta.

Num capricho da Natureza, a raridade resultante de uma anomalia genética, na qual a planta que deveria ter apenas três folhas, acaba originando uma a mais, fez do trevo de 4 folhas, por ser diferente, uma estrela da sorte.

Devido ao misticismo que transforma esse trevo em uma espécie de amuleto da sorte, foram desenvolvidos estudos para o cultivo de trevos com quatro folhas, através de técnicas de cultivo que a partir da anomalia geraram uma nova planta, para a alegria de muitos que podem encontrar a "sorte" com mais facilidade.


E, para a sorte de quem acredita, existe ainda uma outra espécie muito parecida com o trevo, a Oxalis tetraphylla, um tipo de planta que possui naturalmente quatro folhas diferindo apenas na coloração mais escura das folhas que apresentam também o centro roxeado, sendo comercializada como um trevo da sorte.

Independentemente da sorte ser lançada a partir das quatro folhas, o número "4" é considerado mágico em muitas culturas por ser associado à vários motivos coincidentemente relevantes pela força simbólica que carregam:
  • São 4 os pontos cardeais;
  • 4 as estações do ano;
  • Também são 4 os elementos alquímicos, terra, ar, fogo e água;
  • 4 são as fases da Lua;
  • Também são 4 as letras do nome de Deus - YHVH, Javé - entre os hebreus;
  • Número também dos evangelistas e dos braços da cruz entre os Cristãos.
E como uma coisa puxa outra, a soma dos 4 primeiros números do algarismo resulta em dez, símbolo de compleitude sagrado para os pitagóricos e, claro, base do sistema decimal, afirma o filósofo e especialista em religiões Mário Sérgio Cortella. 

Saiba + sobre as conotações simbólicas atribuídas ao número 4 AQUI.

Deixando de lado o misticismo e as supertições, não são só o trevo de três ou quatro folhas, as únicas plantas da sorte, uma vez que sorte é poder ter a Natureza por perto através das muitas formas e manifestações com as quais ela beneficia nossas vidas.

Abraços,
Sejamos Felizes!


Lembrou de alguém que gostaria desse post? Espalhe essa idéia! Compartilhe!


Fontes: Dicionário de símbolos; super.abril.com; Imagens: Web.

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)