Jardins da Casa Cor SP 2015

quinta-feira, maio 28, 2015


Pertencente ao grupo Abril, a Casa Cor é reconhecida como a maior e melhor mostra de Arquitetura, Decoração e Paisagismo das Américas. O evento reúne, anualmente, renomados arquitetos, decoradores e paisagistas chegando em 2015, à sua 29å edição em São Paulo com o tema Brasilidade.


Nesta mostra anual que tem destaque especial no universo da Decoração o Paisagismo também revela tendências e dá um show a parte. Confira abaixo uma prévia em algumas imagens dos Jardins criados para esta edição, publicadas pela revista eletrônica, Paisagismo em Foco.

Inspirado por um amplo potencial de trabalhar com a presença da Natureza  e do verde integrados a arquitetura urbana e ao desenho das cidades, Benedito Abbud, apresenta o projeto da Calçada e Entrada principal da mostra. Gentilezas urbanas e soluções inovadoras são apresentadas neste projeto assinado por Abbud, com o objetivo de estimular nas pessoas o resgate da qualidade de vida nas cidades, em um percurso interativo onde elas podem vivenciar um espaço que traz soluções que podem tornar a vida nos grandes centros urbanos mais agradável e aprazível.



O Jardim do Bosque foi criado por Gilberto Elkis, numa área de 800 metros quadrados onde o paisagista utilizou várias espécies tropicais escolhidas criteriosamente para concretizar a formação natural de um bosque. Elkis, também projetou um lago, no qual coloridos peixes compõem o cenário cheio de vida. Para arrematar o projeto, um original caminho com formas ortogonais em contraste com as linhas orgânicas da vegetação levará o visitante a se embrenhar na mata ampliando a experiência sensorial que o Jardim do Bosque oferece.



O ambiente Varanda do Colecionador foi projetado por Roberto Riscala, cuja proposta é apresentar como será o jardim de um estrangeiro que se muda para o Brasil. Após a natural adaptação com o clima, com o modo de interagir com o povo, as paisagens e as cores exuberantes da fauna e flora, que reflete a sua percepção de todas estas novas influências combinadas com a bagagem que trouxe de sua terra natal.


O resultado é uma explosão de cores, texturas e formas combinadas entre si através de objetos comuns, peças de decoração, quadros, flores e plantas, principalmente bromélias, espécie eminentemente tropical que com sua morfologia simples, quase agreste, adaptada as condições externas do meio que habita, transborda exotismo na combinação de cores e formas, além de numa escala reduzida, em si mesma, possibilitar a formação de um mini ecossistema autossustentável.



Daniel Nunes projetou o Jardim de Outono, cujo princípio é mostrar as adaptações das plantas durante as estações do ano. A partir disto, o paisagista utilizou para formar este jardim, espécies que respondem bem e se adaptam as mudanças das estações, apostou também na diversidade de plantas e texturas para criar um cenário contemporâneo com cara de Outono.



O Jardim das Casas ficou por conta da paisagista Chris Pierro que se inspirou em espécies tropicais para criar um refúgio verde, no qual os sentidos dos visitantes serão aguçados por plantas ricas em folhagens com formas e texturas únicas. O Jardim é composto por diferentes espécies que criam um oásis de formas e volumes verdes naturalmente exuberantes. No caminho para as casas, recantos verdes por todos os lados são marcados pela vegetação onde o destaque é a diversidade e tropicalidade das espécies vegetais escolhidas para o projeto.



A Praça Casa Cor - Projeto H2O, ficou por conta do projeto de João Jadão e Juliana Freitas, cujo objetivo é sensibilizar o público para a necessidade do uso consciente da água, sendo também uma releitura do projeto vencedor do Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima em Portugal. O amplo jardim é composto por Palmeiras e vegetações de grande valor paisagístico e baixa necessidade hídrica, objetivando a criação de espaços verdes sustentáveis.



O projeto do Lounge Tropical é de Cornélia Von Ammon, no qual o conceito de espaço foi inspirado nas cores brasileiras, valorizando o uso do azul utilizado na Feira de Milão. Outro ponto explorado pela profissional foi o uso de materiais com responsabilidade sustentável com ênfase no mobiliário moderno. Um outro ponto de destaque no projeto de Cornelia está na iluminação de LED utilizada tanto nos canteiros que ficam em frente ao prédio/lojas quanto nos vasos presentes na varanda com vegetação predominantemente tropical.



Marcelo Faisal, projetou o Jardim Semi árido, inspirado, segundo ele, no famoso Jardim da Dinda, o Jardim da Dilma, batizado como Jardim dos Sertões ou Semi árido, que carrega uma crítica social, política e econômica vivida no momento no país. Tratando-se de um jardim 100% sustentável, composto com a reutilização de madeiras e outros materiais, sem nenhuma impermeabilização do solo, com espécies vegetais que necessitam de pouca água e baixa manutenção absolutamente funcional.



O Jardim do Lounge foi projetado por Bia Abreu, resultando num espaço de contraste harmoniosos entre as formas geométricas e a liberdade orgânica existentes nos jardins naturais. O projeto convida à contemplação dos diversos tons de verde e texturas existentes na flora brasileira. Acabamentos sofisticados e mobiliário descolado e funcional complementam as áreas próximas às lareiras, tocheiros e ao acolhedor pátio de pedras, conferindo ao espaço um ambiente de encontro.



O Jardim das Sensações, localizado na área externa da casa container, foi criado por Fernanda Pereira de Almeida que, teve como objetivo criar um espaço totalmente sensorial, com elementos que permitem vivenciar novas experiências por meio do olfato e do tato. O jardim é totalmente sustentável, sem a utilização de aparatos tecnológicos, o que transmite simplicidade e bem estar.

Para compor a novidade e garantir a percepção por meio do olfato, a paisagista uniu plantas aromáticas como alecrim, manjericão e pimentas com lavandas, utilizando ainda, a Ipoméia-rubra. Além disso, várias outras plantas como Beaucarnea (pata-de-elefante), Viburnum, Fórmio ou espadana (Phormium tenax) e uma novidade no mercado, a Morelia, um gênero da mesma família do café, complementam a naturalidade do local.



Por esta prévia já dá para perceber que vale a pena ir para ver e sentir in locus, não só os jardins mas toda a mostra que costuma agradar e surpreender com um show de criatividade e inovações. Eu vou conferir, e você? Quem sabe nos encontramos por lá?

A Mostra teve sua abertura no dia 26 de maio e vai até 12 de julho, abrindo de terça à sabado das 12h00 às 21h30 e aos domingos e feriados, das 12h00 às 20h00. O local continua sendo o Jockey Club de São Paulo, Avenida Lineu de Paula Machado, 875, Cidade Jardim.

Abraços,
Sejamos Felizes!


Lembrou de alguém que gostaria desse post? Espalhe essa idéia! Compartilhe!


Fonte: Paisagismo em Foco.

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)