Acupuntura Urbana & Arquitetura

quarta-feira, abril 08, 2015


Muitas pessoas amam viver em grandes metrópoles, enquanto outras sonham em fugir para um ritmo mais lento em localidades afastadas dos grandes centros e até mesmo num meio rural em decorrência dos inúmeros fatores que desencadeiam o estresse urbano que compromete sua qualidade de vida. Se você vive em uma área urbana populosa, já parou para pensar se o estresse urbano é real para você? E como Você se sente sobre o estresse urbano?


A população do mundo está crescendo rapidamente, forçando muitos a viver em ambientes urbanos muito populosos, desencadeando com isso vários sintomas de estresse urbano decorrente da deterioração da qualidade de vida, principalmente nos grandes centros urbanos. Muitos estudos com base no crescimento da população mundial, confirmam que, precisamos nos preparar para vivermos num mundo cada vez mais urbanizado e consequentemente mais deprimido.


Com o crescimento alarmante da população mundial, estamos, sem dúvida, cada vez mais espremidos em bairros que ficam cada vez mais populosos através da verticalização das moradias nas quais um número elevado de pessoas se empilham em habitações diminutas que comprometem a privacidade, e isso certamente não pode ser considerado como ideal para uma vida com qualidade, sendo uma das principais causas do estresse urbano.

O estresse urbano é a denominação dada para uma série de sintomas físicos e psicológicos que se somam em decorrência de problemas ambientais como, poluição (sonora, visual e atmosférica), excesso de trânsito constante, barulhos, aglomerações de todo tipo, falta de privacidade, restrições em moradias, falta de segurança, etc., que causam prejuízo na saúde das pessoas.

Dentro deste cenário, podemos observar que existe uma demanda cada vez maior por profissionais que produzam soluções atenuantes desse estresse, nos ambientes de convívio das pessoas como o lar e o trabalho, dentre outros diversos ambientes de convívio social, promovendo melhorias pontuais que gerem Bem Estar "curando" muitos dos males urbanos. Nesse sentido, surge um conceito que traz à luz diversas formas de "curas" pontuais para os problemas das grandes cidades, que já está sendo utilizados por Arquitetos e Urbanistas, nomeado como: "Acupuntura Urbana".



Acupuntura Urbana
Essencialmente, a "Acupuntura Urbana" é uma teoria que combina um design urbano com a famosa acupuntura chinesa. Os seguidores dessa teoria, olham para o design urbano como um organismo vivo. O principal objetivo é reduzir o estresse no ambiente urbano através de pequenas interações corretivas, como a acupuntura faz a um ser humano que está sofrendo determinadas doenças. E o que não faltam nas grandes cidades, são áreas urbanas que precisam receber determinados projetos que se destinem a curar vários pontos de mau funcionamento.

O termo "Acupuntura Urbana" foi cunhado pelo Arquiteto e teórico social, finlandês, Marco Casagrande e parece ser algo de valor para que outros arquitetos tomem posse, especialmente porque não conta com uma grande renovação urbana, em vez disso, se concentra em projetos menores que ajudam a curar o todo maior. Segundo Casagrande:

A Acupuntura Urbana é um passo adiante da obra arquitetônica no entendimento coletivo da cidade. A cidade é vista como um núcleo multi-dimensional da energia e do corpo sensorial; um ecossistema vivo. A Acupuntura Urbana tem como objetivo o contato com a Natureza. É conexão palpável da natureza humana como parte da Natureza.

O conceito da Arquitetura Urbana, contribui para o desenvolvimento sustentável das cidades. No Brasil, o lançamento  desse conceito foi realizado pelo Arquiteto e Urbanista Jaime Lerner, em Curitiba. Para Lerner, a Acupuntura urbana é um conjunto de ações pontuais e de revitalização que podem mudar progressivamente a vida na cidade. Essas intervenções na tessitura urbana ajudam a sarar a dor de forma instantânea, eficaz e funcional.


Há muito para ser dito sobre a Acupuntura Urbana e seu possível papel na reparação de comunidades com defeito e, há muito também para ser feito no sentido de "curar", ponto por ponto, os setores doentes das grandes cidades onde as intervenções da Arquitetura e o Urbanismo tem cada vez mais relevância neste processo.

Quanto a Arquitetura, as atribuições dos arquitetos tem se multiplicado, pois surgiram inúmeros novos fatores que precisam ser considerados na criação de projetos que possam ajudar as pessoas a se sentirem seguras e à vontade, até mesmo na mais lotada situação de vida. Não basta projetar somente casas modernas, mas também, casas funcionais e sustentáveis com foco na saúde mental do mundo, ponto por ponto como na "Acupuntura".

Algumas soluções focadas na Acupuntura Urbana para minimizar o estresse urbano:

Em cidades que não tem áreas estabelecidas para espaços verdes, e em bairros onde não existem espaços para criar parques, praças ou áreas de lazer, arquitetos exploram criativamente os espaços existentes como telhados, transformando-os em áreas verdes, jardins e outras áreas de lazer.


Já está mais do que confirmado que a jardinagem reduz significativamente o estresse e a depressão, o que reforça a tendência do uso de telhados, muros, paredes e fachadas para a criação de espaços verdes vivos que cumprem um papel relevante na redução do estresse urbano.


Ao projetar comunidades com amplos espaços verdes, reinventar áreas de telhados em espaços utilizáveis e projetar edifícios que moldam as experiências urbanas positivamente a arquitetura contribui com a redução do estresse urbano e promove outras curas.


Uma forma de cura também pode residir na moldagem da experiência humana. Por mais óbvio que pareça, a importância do design para os ambientes que habitamos, é relegada pela maioria das pessoas que não se dão conta do quanto um ambiente mal dimensionado e ocupado compromete a qualidade de vida. Nesse sentido, cabe também à arquitetura, projetar edifícios onde as pessoas possam desenvolver um sentimento de pertença, onde tenham um total senso de lugar e, desse modo, minimizarem efeitos de estresse urbano.


Para incorporar tais sentimentos em seus projetos é preciso melhorar o fluxo e função dos espaços construídos, adicionar espaços verdes e vistas, incorporar grandes janelas, tetos com pé direito mais altos e aberturas que contribuam para uma iluminação natural e a criação de áreas multifuncionais onde as pessoas possam acessar várias atividades.


Como nos grandes centros urbanos a maioria das pessoas passam a maior parte de seus dias trabalhando e vivendo em grandes edifícios de escritórios e em apartamentos apertados, é essencial que os profissionais da arquitetura desenvolvam seus projetos focados nestas considerações para alcançarem soluções que contribuam tanto para o bem estar físico como o bem estar mental das pessoas.

Fique atento e perceba que, o "verde", ou seja, a proximidade com a Natureza, está presente em muitas soluções que promovem Bem Estar nos diversos setores onde as pessoas vivem, principlamente nos grandes centros urbanos; E, que aqui no "Jardim", você sempre encontrará dicas que podem contribuir para elevar sua qualidade de vida através da proximidade e interações com a Natureza.

Veja mais posts relacionados:



Abraços,
Sejamos Felizes!

Lembrou de alguém que gostaria desse post? Espalhe essa idéia! Compartilhe!


Fontes: freshome; wikipédia; 
Imagens: abertura do post: Deck Two, seguida por "Operários" - Tarsila do Amaral; imagem de fechamento: projeto Arq. Desiree Felix parceria com Studio Plano Verde; demais imagens: Web

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)