A Árvore de 40 frutos

segunda-feira, julho 28, 2014


Imagine uma árvore que produz não só um tipo de fruta, mas uma grande variedade dela. Parece uma obra de arte, mas é real. Essa árvore já existe, confirmando mais um ato de generosidade da Natureza com uma "mãozinha" humana...


Quem deu essa "mãozinha" e trouxe essa maravilha à vida foi o artista e professor de Arte, Sam Van Aken da Universidade de Syracuse, utilizando uma série de árvores frutíferas hibridizadas para criar uma única árvore onde crescem 40 variedades de frutas com caroço como ameixas, cerejas, nectarinas, damascos e amêndoas.


Van Aken foi criado em uma fazenda da sua família antes de seguir sua carreira como artista. Em 2008, conheceu o Pomar da Estação Experimental Agrícola do Estado de Nova York prestes a fechar por falta de financiamento. Lá ele encontrou uma grande variedade de frutas nativas com caroço sendo que algumas com a idade entre 150 e 200 anos de idade, que se perderiam com o fechamento do pomar. Decidiu então comprar o pomar, e aproveitar as muitas variedades de frutas que no processo de um projeto que durou vários anos de experiências culminando na criação da árvore das 40 frutas.

Foi utilizando técnicas de enxertia como a "Chip", que Van Aken esculpiu a árvore, parte por parte, envolvendo a retirada de um pedaço de uma árvore de fruta contendo botão para inseri-la através de incisão na árvore base do trabalho, que depois de curada, cada parte, tinha seu desenvolvimento incentivado com podas. O resultado, veio com o tempo, após cerca de cinco anos de trabalho com vários ramos enxertados, sua primeira Árvore com 40 frutos estava completa. E foi numa Primavera que a Árvore apresentou uma explosão de retalhos com diferentes cores de rosas, entre roxos e flores brancas, que se transformaram em diferentes frutos raros e únicos no Verão.


Com discurso de Artista Van Aken se refere a sua experiência como obra de Arte, o que não deixa de ser...

Em primeiro lugar vejo a Árvore como uma obra de Arte. Eu quero a Árvore para interromper e transformar o cotidiano. Quando a Árvore floresce inesperadamente com cores diferentes, ou você vê esses diferentes tipos de frutas pendurados em seus ramos, não só muda a maneira como você olha para ela, mas ela muda a forma como você percebe as coisas em geral. Outra meta é manter diferentes variedades de frutas como forma de conservação, preservação das espécies de variedades de caroço que não são comercialmente produzidos e comercializados.

Dito por Van Akem em entrevista a Epicurious que você pode saber mais AQUI.


Van Aken criou 16 Árvores de 40 frutas até agora. Essas Árvores estão espalhadas em museus, centros comunitários e coleções de arte privada em todo os EUA. Mas o artista pretende criar agora um pequeno pomar de Árvores frutífera hibridizadas na cidade. Saiba mais no site do Artista AQUI.


Abraços,
Sejamos Felizes!

Nenhuma atividade do bem é insignificante... As mais altas Árvores são oriundas de minúsculas sementes.

Chico Xavier

Lembrou de alguém que gostaria desse post? Espalhe essa idéia! Compartilhe!


Fontes: my modern met. Imagens: Site do artista.

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)