Árvore Museu

terça-feira, abril 29, 2014




A Árvore Museu, não se trata de nenhum Jardim Botânico, mas sim de um espaço dedicado a valorização das árvores como verdadeiras obras de Arte naturais, como de fato o são. Não se trata também de nenhuma instituição pública, e sim de uma coleção particular, disponibilizada generosamente como uma instituição permanente, a serviço da sociedade e do seu desenvolvimento.
O dono, um colecionador de árvores, amante da Natureza, da Arquitetura e da Arte, Enzo Enea.

Para mim, árvores são obras de arte naturais, e trata-se de um museu, porque é uma coleção cujas "peças" devem ser conservadas como patrimônio da humanidade.
(Enzo Enea)

O museu da Árvore foi projetado e construído pelo Arquiteto Paisagista, suíço, Enzo Enea, para abrigar sua coleção de mais de 2000 espécies diferentes de árvores que foram coletadas durante mais de 17 anos nos diversos países por onde o arquiteto trabalhou.


Desde 2010, situado numa área de 75.000 metros quadrados, numa terra circundada por paisagens de tirar o fôlego, em Raperswuill-Jona, Suíça, o Enea Tree Museum exibe a fantástica coleção de árvores individuais do paisagista considerado um dos mais proeminentes coletores de árvores do mundo.


Para a realização do seu projeto, Enzo Enea se associou com Chad Oppenheim - Arquiteto conhecido pelos condomínios extravagantes que criou em Miami - que projetou para o espaço uma paisagem zen, onde as Árvores são destacadas por paredes de arenito com ou sem empenas, criando um cenário de galeria a céu aberto num parque repleto de detalhes como espelhos d'água, canteiros floridos, jardins de topiária, áreas de descanso, etc. O local conta também com uma edificação central, que abriga uma exposição de mobiliários pra Jardins, biblioteca, loja do museu, além de espaços com salas para aulas de Arte e desenho.




Esta galeria ao ar livre, foi construída num terreno que abrigou um mosteiro do século 14, onde hoje todo apreço pelas árvores é demonstrado através da integração da Arquitetura com a Natureza aliando estética, sustentabilidade, história e vida.


Com o Museu Árvore, Enzo Enea realizou seu sonho de integrar num único espaço, paisagem, botânica, Arte, Arquitetura e Design. Tendo como principal missão do museu, enfatizar a presença excepcional, beleza e raridade das árvores expostas, seguida da missão de contribuir na percepção dos visitantes, quanto aos atributos primordiais da vida como o tempo o espaço e em como estes estão intrinsecamente ligados às árvores veneráveis, a visita ao museu promove uma experiência singular.


A experiência e sensação evocadas numa visita ao Museu Árvore, é criada por uma infinidade de elementos, incluindo a magnificência das próprias árvores, o micro clima que elas criam em torno delas, a variedade de texturas, os efeitos dos espaçamentos e as proporções da Arquitetura e da paisagem em que estão inseridos. No entanto, uma das características mais marcantes e comoventes na maioria das árvores vistas por lá é a idade de cada uma elas, a maioria centenárias, o que desperta o sentimento de "Slow life", respeito e admiração pela natureza e o meio ambiente. Dentro deste espírito, seus idealizadores pretendem contribuir na conscientização do que quer que estas forma antigas possam refletir em nosso subconscientes no sentido da valorização da vida em todas as suas formas.


Abraços,
Sejamos Felizes!


Lembrou de alguém que gostaria desse post? Espalhe essa idéia! Compartilhe!


Fontes: enea.ch/treemueum; Landizine; Imagens: web.

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)