Arquitetura sustentável

quarta-feira, março 26, 2014




Você sabia que atualmente a construção de prédios e edifícios está entre os maiores vilões do meio ambiente? Essas construções produzem um enorme gasto energético, geram uma quantidade absurda de resíduos e despejam na atmosfera muitos gases extremamente tóxicos. A consciência sobre tais conseqüências faz com que cada vez mais, sejam valorizadas e adotadas as construções baseadas na Arquitetura Sustentável.

Arquitetura Sustentável é toda forma de arquitetura que leva em consideração formas de prevenir o impacto ambiental que uma construção pode gerar. É um processo que está constantemente em evolução, e seu foco é inovar por meio de tecnologia formas de melhorar nossa qualidade de vida, utilizando os recursos naturais. Por exemplo, no lugar de desmatar um terreno para construir uma casa, como de costume, a filosofia da Arquitetura Sustentável é considerar a Natureza como modelo, fazendo a integração do natural com o social, resultando em espaços mais harmoniosos porque são mais humanizados.

O conceito de integração de Arquitetura e Natureza existe há muito tempo, ícones da Arquitetura como Le Corbusier, já consideravam a importância dessa combinação na busca da unidade ideal no resultado de seus projetos.

A arquitetura age através de construção espiritual. É a modalidade própria ao espírito que conduz aos longínquos horizontes das grandes soluções. Quando as soluções são grandes, e quando a Natureza casa-se com elas alegremente, mais que isso: quando a Natureza integra-se nelas, é então que se está próximo da unidade. E penso que a unidade seja esta etapa para a qual conduz o trabalho incessante e penetrante do espírito.

(Le Corbusier)

Foi com base nas palavras de Le Corbusier que selecionei três projetos que considero especiais para compartilhar com vocês neste post:

Capela de Throncrown, construida em 1980 no Arkansas - EUA.
Interior da capela.

A Capela Thorncrown, construída em 1980 no Arkansas - EUA - é um dos primeiros exemplos contemporâneos de Arquitetura Sustentável do Planeta. Erguida com madeira ecológica e cercada de pedras, a pequena igreja fica numa clareira entre árvores e recebe iluminação natural a maior parte do tempo. Com diversos elementos simples e funcionais, a capela atrai diversos visitantes que buscam meditar em meio à Natureza e faz sucesso entre os pares que procuram por um casamento diferente.

Coordenado pelo notável arquiteto norte americano Frank Lloyd Wrigth, o projeto da capela garante ao público variadas experiências em cada visitação, sobretudo devido a estrutura externa transparente. Isso porque além de garantir a entrada de luz natural, reduzindo os gastos de eletricidade no ambiente, a estrutura também proporciona a sensação de estar em um lugar distinto a cada estação do ano, que é bem marcada em meio à floresta temperada dos EUA. Desta maneira, a capela utiliza a Natureza e as mudanças do tempo como seu principal cenário. Saiba mais sobre a capela AQUI.


Centro Max Feffer Cultura e Sustentabilidade - Pardinho - SP - Brasil.
Fachada do Centro Max Feffer.
Um dos tripés da sustentabilidade é responsabilidade ambiental. Desta forma nada mais natural do que o Centro Max Feffer Cultura e Sustentabilidade já fosse concebido como uma edificação verde e ecológica. E como o Instituto Jatobás nasceu na Fazenda dos Bambus, este fantástico material não poderia deixar de estar presente em sua estrutura: soma-se às características ecológicas o fato que toda estrutura da cobertura foi desenvolvida com bambu. Segundo a arquiteta Leiko Motomura, responsável pelo projeto, "o bambu chama a atenção porque as pessoas não estão acostumadas, mas é apenas um dos elementos da construção, pois todo o prédio é sustentável", explica. Hoje, o projeto do Centro Max Feffer Cultura e Sustentabilidade é reconhecido mundialmente como exemplo de construção sustentavel: recebeu a certificação Leadership in Energy and Environmental Design - LEED, concedida pela United States Green Building Council. Conheça mais AQUI.

Centro Cultural Jean Marie Tjibaou - Ilha Nova Caledônia - Oceânia.
Detalhes do Centro Cultural Jean Marie Tjibaou.
O Centro Cultural Jean Marie Tjibaou foi inteiramente planejado com base na cultura Kanak, uma tribo da região Nouméa, na ilha de Nova Caledônia, no Pacífico Sul. Projetado pelo famoso arquiteto italiano, Renzo Piano, a obra é considerada uma das pioneiras da arquitetura sustentável, pois carrega aspectos econômicos, socioculturais e ambientais. Construído para homenagear Jean Marie Tjibaou, um líder assassinado da cultura Kanak, o arquiteto utilizou estratégias eficientes de construções sustentáveis para manter os pavilhões frescos e integrá-los à Natureza. A obra teve seu início em 1991 e seu término em 1998. Saiba mais AQUI.


Ainda bem que não faltam exemplos de Arquitetura Sustentável que confirmam como a integração do natural com o social dá muito certo além de encantar e inspirar a todos. Exemplos como estes confirmam em grande estilo que é por meio do desenvolvimento constante da Arquitetura Sustentável que poderemos ver e usufruir de projetos cada vez mais eficientes, ecologicamente corretos, que diminuam os danos provocados no meio ambiente, que sejam inteligentes e promovam uma redução no gasto energético. O bom de tudo isso está no resultado que agrega fatores sustentáveis também no cotidiano de todos que frequentarão essas construções, interferindo assim de maneira positiva na vida das pessoas.

Abraços,
Sejamos Felizes!


Lembrou de alguém que gostaria desse post? Espalhe essa idéia! compartilhe!


Fontes: temarama.com.br, Vitruvios, Throncrow, Centro Max Feffer. 
Imagens: web.

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)