Literatura e Jardim

quarta-feira, novembro 20, 2013





Sonhar o sonho impossível, sofrer a angústia implacável, pisar onde os bravos não ousam, reportar o mal irreparável, amar um amor casto à distância, enfrentar o inimigo invencível, tentar quando as forças se esvaem, alcançar a estrela intangível: essa é a minha busca.

Don Quixote

Creio que muitos sobre a face da Terra já tenham ouvido falar do "insano" cavaleiro Don Quixote de La Mancha e seu fiel escudeiro Sancho Pança, sua amada idealizada e sua luta contra os moinhos gigantes. "Cavaleiro errante" em seus ideais e "Cavaleiro da triste figura" em suas derrotas, são célebres expressões da obra de Miguel de Cervantes comumente associadas aos sonhadores errantes de todos nós...

Don Quixote de Pablo Picasso - 1955

Mas, muitos certamente ainda não ouviram falar que este clássico dos clássicos da Literatura Universal irá ganhar um Jardim em sua homenagem. Brilhante iniciativa que não poderia ficar sem menção aqui no "nosso Jardim". Graças a iniciativa de unir Literatura juntamente com  recuperação de plantas nativas,  as espécies de plantas descritas por Miguel de Cervantes na obra "Don Quixote de la Mancha", serão plantadas numa área de 650 metros quadrados ocupada pelo Jardim do Museu Etnográfico em Puertollano - Espanha. Neste espaço serão plantadas as espécies que aparecem na primeira parte da obra "Don Quixote", em paisagens mencionadas por Cervantes com ricas descrições. Selecionei algumas destas plantas para que vocês apreciem e imaginem como será especial este Jardim.

Cipreste


Cipreste é o termo genérico aplicado a uma grande variedade de espécies de árvores coníferas. Pode chegar a de 45 metros de altura, tem rápido crescimento de, aproximadamente, 2 metros por ano. Mesmo quando cultivada em vasos, a cipreste possui folhagem resistente e uma vida longa, há relatos de que algumas ciprestes chegam a mil anos. É uma planta medicinal, com indicações para quem possui problemas circulatórios ou de retenção de líquidos. Dá até para fazer chá de cipreste.

Teixo


Teixo foi largamente utilizado durante a Idade Média para a confecção de arcos, flechas, bestas e catapultas, pois é uma madeira maleável, porém de grande resistência. Apresenta floração entre março e abril e suas folhas são venenosas se ingeridas em grande quantidade.

Castanheiro


Árvore de grande porte, muito abundante no interior, norte e centro de Portugal, cujo fruto (ouriço) contém a castanha, que formou, juntamente com o trigo, cevada e centeio, a base da alimentação em Portugal até ao século XVII. No sul é rara, apenas aparecendo em áreas muito elevadas como a Serra de São Mamede (Marvão). O castanheiro produz também madeira de excelente qualidade, o castanho, muito usada no passado na construção em Portugal, nomeadamente na região norte do país. É ainda hoje muito utilizada em mobília e decoração interior.

Faia


Faia é o nome popular dado às 10 espécies de árvores do gênero Fagus, pertencentes à família Fagaceae. São árvores de folha caduca, nativas da zonas temperadas da Europa, América do Norte e Ásia. Seus frutos são ricos em tanino.

Freixo


O Freixo é da mesma família a que pertence a Oliveira. É uma árvore de solos frescos e profundos, de porte médio, que pode atingir até 25 metros de altura. A casca tem sulcos profundos, verticais e é castanha escura acinzentada. As folhas podem ser utilizadas em forma de chá muito gostoso e muito diurético. Pode combater os sintomas da gota e do reumatismo, assim como é utilizada para auxiliar nos problemas de obstipação e regular o colesterol. A casca é utilizada para combater a febre e pode auxiliar na cicatrização de feridas.

Azevinho


É um arbusto de folha persistente da família das Aquifoliaceae, cultivado normalmente para efeitos ornamentais devido aos seus frutos vermelhos. Estes frutos também são denominados de azevinhos, bagas, azinhas ou enzinhas. Porém, apesar da beleza, seus frutos e suas folhas são tóxicas se ingeridas.

Oleandro


É uma planta ornamental extremamente tóxica. Basta que seja ingerida uma folha para matar um homem de 80 kg, no entanto, muitas vezes a ocorrência de vômitos evita o desfecho fatal. É originária do norte da África, do leste do Mediterrâneo e do sul da Ásia, mas muito comum em Portugal e no Brasil.


Carvalho


Carvalho é a designação comum das cerca de seiscentas espécies de árvores do gênero Quercus. Em geral, as espécies de folha caduca distribuem-se mais para o norte e as de folha persistente para o sul. Os frutos do carvalho chamam-se bolotas ou landes.

Alecrim-do-mato (ou do campo)


Uma planta que tem semelhanças com o capim-santo, murta-limão e verbena por causa do citral bastante presente, que faz com que ela seja de cheiro e gosto cítrico, azedo, com gosto de limão, tanto que seus usos medicinais podem ser feito o suco misturado com frutas cítricas. Parecida com o alecrim, tem folhas bem fininhas, com umas inflorescências amarelas também miúdas, uma erva rasteira.

Álamo alpino


É oriunda das áreas mais frias da América do Norte. Uma colônia clonal de Populus tremuloides designada Pando é um dos mais velhos organismos vivos conhecidos. A colônia inteira é constituída por apenas um tipo de árvore, que espalhou por uma imensa área nos Estados Unidos.

Amoras-silvestres ou silvas


Os frutos são usados para a composição de sobremesas, compotas, e por vezes vinho. São muitos os tipos do que é, vulgarmente, designado como "amora" – incluindo muitas cultivares híbridas, com mais de duas espécies ancestrais. O conhecido "tempo das amoras" inicia-se oficialmente no dia 17 de Junho e prolonga-se durante as semanas seguintes.

Cedro


Cedro é o nome genérico para diversas árvores parecidas. Uma das mais conhecidas dela é o Cedro do Líbano que, inclusive, compõe a bandeira deste país. São árvores de crescimento lento, porém de madeira resistente e utilizada deste a antiguidade por diversos povos do Crescente Fértil.

Laranjeiras


É uma árvore de pequeno porte, cujos são bem conhecidos por todo mundo. A laranja é um fruto híbrido criado na Antigüidade a partir do cruzamento da cimboa com a tangerina.

Hera


A Hera é uma planta trepadeira do gênero Hedera, família Araliaceae. É natural da Europa Central e Ocidental. Geralmente é usada para revestir paredes, muros ou árvores. Sua capacidade de fixação é ideal para forrar esculturas feitas de arame e outros substratos, dando forma, volume e textura às mesmas.

Louro


O louro é uma árvore sempre-verde que atinge até 10 metro de altura. Cada flor é verde-amarelo pálido com cerca de 1 cm de diâmetro e são suportadas em pares ao lado de uma folha. Suas folhas são muito apreciadas e usadas como tempero.

Roseira


As roseiras são arbustos e trepadeiras cultivadas desde a Antiguidade dando origem a flores de diversas cores. As flores sofreram modificações através de cruzamentos realizados ao longo dos séculos para que adquirissem suas características mais conhecidas: muitas pétalas, forte aroma e cores das mais variadas.

Cana-da-índia


Uma planta arbustiva ornamental caracterizada por flores muito atrativas e grandes, em espigas e de cor amarela. Seu bambu é muito utilizado na confecção de móveis muito apreciados pela resistência e beleza.

Oliveiras


A oliveira é uma árvore da família oleáceas. Tem pouca altura e tronco retorcido, sendo nativas da parte oriental do mar Mediterrâneo, bem como do norte do atual Irã no extremo sul do mar Cáspio. Seus frutos são muito apreciados e utilizados na culinária, especialmente da forma de azeite.
Suas folhas também podem ser utilizadas como chá.

Estas dentre outras tantas plantas que formarão o Jardim, receberão uma placa com identificação da espécie vegetal bem como menção do capítulo do romance de Cervantes onde o autor as descreve. A iniciativa está incluída no plano para melhorar os espaços públicos da cidade com espécies nativas o que tem exigido uma pesquisa aprofundada, para apurar as variedades de plantas existentes na região desde o século XVI.

O projeto certamente agregará mais cultura e beleza à região não só através do enaltecimento à tão reconhecida obra de Miguel de Cervantes, mas também através do resgate cuidadoso de plantas nativas ligadas a história e tradições locais. Tomara que a moda pegue também por aqui. Moramos num país lindo, "abençoado por Deus, bonito por Natureza", onde contamos com uma vasta riqueza literária, na qual não faltam paisagens e jardins que dariam inspiração de sobra para projetos como este.

Saiba sobre a obra:"Don Quixote", AQUI.

Abraços,
Sejamos Felizes!


Lembrou de alguém que gostaria do post?
Espalhe essa idéia! Compartilhe!

Leia também!

0 comentários

Todo comentário construtivo é bem vindo.
No entanto, comentários ofensivos, preconceituosos, mal educados ou incompreensíveis, serão apagados.
Comentários que sejam spam ou propaganda, que não tenham a ver com o conteúdo do post ou do blog, também serão apagados.
Se quiser contratar um serviço, utilize a página de Contato.

Obrigada pela visita!

Google Plus

Like us on Facebook

Quote do dia

"Eu agradeço pelas inúmeras vezes que você me enxergou melhor do que eu sou... Pela capacidade de me olhar mais devagar... já que muita gente já me olhou depressa demais. Olhe devagar cada coisa. Aceita o desafio de ver o que a multidão não viu. Entre cascalhos disformes, estranhos diamantes sobrevivem solitários. É bom ter amigos. Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos. A beleza anda de braços dados com a simplicidade. Basta observar a lógica silenciosa que prevalece nos jardins."
(Pe. Fabio de Melo)